fbpx

28 de maio: A saúde da mulher em pauta

A data marca duas lutas para a saúde feminina, o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna

No dia 28 de maio comemoramos o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna, data especial para chamar a atenção e conscientizar a sociedade dos diversos problemas de saúde comuns na vida das mulheres. 

A vacinação é uma das principais formas de promoção da saúde da mulher. Segundo a Organização Mundial da Saúde, as vacinas evitam entre 2 e 3 milhões de mortes por ano no mundo. Por isso, reforçar a necessidade e o calendário de vacinação para mulheres grávidas e não grávidas, de crianças à idade adulta é tão essencial. 

A enfermeira Miriam Regina Fuck, fundadora e responsável técnica de enfermagem da Bravacinas, faz o alerta:

“Nunca se falou tanto de vacina como neste momento, mas nós que trabalhamos com a imunização humana observamos de perto um cenário cada vez mais preocupante. Porque a cobertura vacinal de determinadas doenças, as taxas de imunização, estão em intensa queda. Isso dá espaço para os vírus e bactérias virem com toda força. E as pessoas adultas hoje são as mais difíceis de se convencer a tomar vacina. As crianças ainda têm a cobrança do pediatra, da escola, de estar com a carteira de vacinação em dia. Mas as adolescentes, as adultas, precisam ganhar essa consciência. O conhecimento é muito importante, também, para salvar vidas”.

Vale destacar que, no caso das mulheres, a vacinação de grávidas e puérperas também é importante para a transferência de anticorpos para os bebês.

Vacinas recomendadas para as mulheres não-grávidas

Existem algumas vacinas recomendadas para as mulheres que servem para prevenir doenças, geralmente causadas por bactérias e vírus.

Entre as principais vacinas recomendadas para mulheres, quando o assunto é Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), pode-se citar a do HPV, Meningocócica C e Hepatite B. Elas devem ser aplicadas em meninas de 9 a 14 anos, para evitar a transmissão e contaminação quando começarem a ter relações sexuais.

As demais vacinas, como a de febre amarela, tríplice viral, dupla adulto (DT), pneumocócica 23 valente, tríplice bacteriana e Influenza (esta última anualmente), também são recomendadas.

Vacinas recomendadas para gestantes

Quase todas as vacinas citadas acima devem ser aplicadas na gravidez, caso a mulher não tenha recebido-as antes, ou caso tenha tomado na gestação anterior [é essencial que de uma gestação para outra tenha o reforço].

A dTpa é uma das vacinas previstas no Calendário de Vacinação das Gestantes e deve ser aplicada nas futuras mães a partir da 20ª semana. Além de proteger a gestante e evitar que ela transmita a Bordetella pertussis ao recém-nascido, permite a transferência de anticorpos ao feto protegendo-o nos primeiros meses de vida até que possa ser imunizado.

Dentre as não recomendadas para esse período estão a de HPV, tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), dengue e varicela.

Existem outras vacinas que devem ser aplicadas na gestante em situações especiais, com recomendação médica:

  • Hepatite A, 
  • Meningocócica ACWY,
  • Meningocócica B,
  • Pneumocócica.

Mulher, cuide da sua saúde e da sua filha também! Imunize-se. Na Bravacinas você pode agendar qualquer uma das vacinas citadas neste texto entrando em contato com nossa equipe, por telefone ou WhatsApp, no número (47) 3344-0082. A nossa equipe também pode ir até a sua casa e vacinar você e as mulheres da sua vida no conforto do seu lar!

Post anterior
Chegada do inverno traz alerta para vacinação contra a meningite e outras doenças respiratórias comuns para essa época do ano
Próximo post
Herpes-zóster: Casos aumentaram 35% na pandemia

Posts Relacionados

Nenhum resultado encontrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu